(55) 3220-8115
livrariaufsm@gmail.com

Seja bem-vindo à Livraria e Grife UFSM!

Livraria UFSM
Grife UFSM

Revista Ciência & Ambiente 46/47 Engenharia Natural

Seja o primeiro a comentar este produto

Revista Ciência & Ambiente 46/47


Fabrício Jaques Sutili e Elvidio Gavassoni, Rita dos Santos Sousa e Fabrício Jaques Sutili, Charles Rodrigo Belmonte Maffra e Fabrício Jaques Sutili

Disponibilidade: Verificar

R$30,00

Descrição do produto

Detalhes

Soil bioengineering consists basically of using live material as construction and structural elements in engineering applications related to stabilization of natural systems. The techniques used are not new, however its establishment as a technical and scientific discipline is recent. The current stage of soil bioengineering development is marked by artisan and descriptive approaches. The aim of this work is to propose a program to develop soil bioengineering as a more analytical engineering branch. The historical progress and current stage of soil bioengineering are discussed and related to the historical progress of traditional engineering branches. A program to structure soil bioengineering as a more analytical discipline is suggested in the form of a hierarchical sequence of steps. This structuration contributes to improve the degree of confidence and precision in the professional practice of soil bioengineering applications and also it helps to standardize practice and improving the discipline. Técnicas construtivas de Engenharia Natural solucionam problemas estruturais de estabilização geotécnica e hidráulica, controlam processos erosivos superficiais e, simultaneamente, projetam ecossistemas em equilíbrio dinâmico. O papel desempenhado pelas plantas é fundamental para o sucesso destas intervenções. Por isso, a compreensão técnica das suas funções e efeitos é extremamente importante para sua adequada especificação como material construtivo. Pretende-se rever aqui os principais conceitos da Engenharia Natural e a utilização das plantas como material construtivo vivo. As plantas, de acordo com as suas características morfológicas e mecânicas, apresentam várias funções técnicas. Tais funções são classificadas e agrupadas segundo a metodologia proposta por Sousa1 e apresentadas por meio de uma revisão bibliográfica baseada em literatura especializada dos principais autores da área. No caso específico das funções da vegetação, foram utilizados autores como N. J. Coppin & I. G. Richards, R. P. C. Morgan & R. J. Rickson e G. Sauli & P. Cornelini. A Engenharia Natural, assim como outras disciplinas da Engenharia, dispõe de um conjunto de procedimentos que servem para auxiliar a tomada de decisão do engenheiro durante a elaboração de um projeto. Esses procedimentos são semelhantes aos empregados em projetos convencionais de Engenharia Civil, diferindo apenas por peculiaridades intrínsecas à vegetação, da qual se obtém os materiais construtivos vivos, principal diferencial das obras biotécnicas. O procedimento de projeto de Engenharia Natural para aplicação em obras de infraestrutura aqui apresentado é constituído por três etapas: a conceitual, a básica e a executiva. Para que essas três etapas sejam plenamente desenvolvidas, existem objetivos específicos para cada uma delas. Tais objetivos, quando observados, servem de orientação segura e objetiva no processo decisório do projetista. No Brasil, a utilização das técnicas preconizadas pela Engenharia Natural é relativamente recente, o que justifica a grande demanda por pesquisas na área e, principalmente, a divulgação de estudos de caso da aplicação dessas técnicas em obras realizadas no país. Sendo assim, será descrita, a título de exemplo, a elaboração do projeto, a execução e evolução temporal de uma obra de estabilização hidráulica realizada em trecho de 80 metros da margem esquerda do Rio Pardinho, a jusante da barragem do Lago Dourado, no município de Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul. O projeto foi realizado pelo Centro de Pesquisa Florestal e Ambiental (CEPEFLORA) da Universidade Federal de Santa Maria para a Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN), no ano de 2010. Soluções de Engenharia Natural constituem alternativa técnica apropriada para manter a proteção e a estabilidade de faixas dutoviárias, além de melhorarem as condições ambientais e ecológicas locais. O projeto elaborado pelo Laboratório de Engenharia Natural (Universidade Federal de Santa Maria) e descrito nesse artigo, apresenta a execução e a evolução temporal de uma obra de Engenharia Natural em travessia de dutos no município de Cariacica, Espírito Santo. Exposição de duto e perda de estabilidade de leito e das margens foram os problemas tratados na travessia. A solução adotada consistiu de duas medidas: a estabilização hidráulica por meio de readequações no eixo, leito e margens, e o aumento da rugosidade hidráulica proporcionado principalmente pelo efeito técnico da vegetação implantada. Após um ano de implementação dessas medidas, além da efetiva proteção do duto, os resultados mais evidentes foram a redução da competência do fluxo, a perenização do canal e a deposição de sedimentos e também de propágulos da vegetação de regiões de montante.Apresenta-se uma obra de Engenharia Natural realizada em travessia de dutos, no município de Cariacica, Espírito Santo. O projeto e acompanhamento, antes e após execução da obra, foram realizados pelo Laboratório de Engenharia Natural da Universidade Federal de Santa Maria. Os principais problemas identificados na travessia envolveram a perda de estabilidade da faixa e a exposição do duto, resultantes de irregularidades no canal e de eventos pluviométricos intensos. A principal medida corretiva consistiu na construção de um cinto basal saliente com perfil de compensação de inclinação reduzida, de modo a garantir proteção imediata ao duto e diminuição na competência do fluxo. Complementarmente, para assegurar a estabilidade dos taludes, foi construída uma parede krainer na margem esquerda e realizado o plantio de mudas na margem direita. O acompanhamento da obra mostra que as soluções adotadas têm atendido às exigências técnicas, além de estarem cada vez mais inseridas na paisagem local.

Informações adicionais

Informações adicionais

TítuloRevista Ciência & Ambiente 46/47 - Engenharia Natural
Autor(es)Não
OrganizadorFabrício Jaques Sutili e Elvidio Gavassoni, Rita dos Santos Sousa e Fabrício Jaques Sutili, Charles Rodrigo Belmonte Maffra e Fabrício Jaques Sutili
EditoraCiência e Ambiente
SubtítuloNão
TradutorNão
Co-editoraNão
ISBN14959
Ano de Lançamento2017
Edição46/47
Número de Páginas176
Formato (cm) (LxAxP)18x25
AcabamentoBrochura
IdiomaPortuguês
AssuntoEngenharia natural

Comentários

Escrever seu próprio comentário

Você está revendo: Revista Ciência & Ambiente 46/47 Engenharia Natural

Tags do produto

Tags do produto

Use espaços para separar tags. Use aspas simples (') para frases.